Lisboa é rodeada de palácios e histórias, e fui conhecer o Palácio Nacional da Ajuda, e claro, não tem como não se encantar pelas suas belezas.

O Palácio Nacional da Ajuda, é hoje um magnífico museu e o único palácio visitável em Lisboa que ainda conserva, de um modo fidedigno, a disposição e decoração das salas ao gosto do séc. XIX.

Situado no alto da colina da Ajuda, com vista deslumbrante sobre o rio Tejo, o Palácio integra importantes coleções de artes decorativas dos séculos XVIII e XIX: ourivesaria, tapeçaria, mobiliário, vidro e cerâmica, bem como coleções de pintura, gravura, escultura e fotografia.

O Palácio da Ajuda foi construído após o terremoto de 1755. O Rei D. José I se recusou morar em lugares que eram de alvenaria. Foi então construído em madeira para melhor resistir a abalos sísmicos, e ficou conhecido por Paço de Madeira ou Real Barraca.

Mas em 1794, foi destruído por um incêndio e foi então que decidiram reconstruir um palácio novo em pedra e cal. Um obra que demorou muitos anos para ficar pronta, já que a família real foi para o Brasil para fugir da invasão de Napoleão e pela falta de recursos.

Foi com a subida ao trono de D. Luís I, que uma nova etapa se iniciou, adquirindo finalmente a verdadeira dimensão de paço real ao ser escolhido para residência oficial da corte. A partir de 1861 foram feitas obras indispensáveis na estrutura do edifício para acolher o novo 
monarca.

Nasceram neste palácio os príncipes D. Carlos e D. Afonso, era onde se reuniam o Conselho de Estado e se realizavam cerimónias de corte, grandes bailes e banquetes.

Em 1910, após ser instaurada a República, a família real foi exilada, e o paláio encerrado. E só foi aberto ao público como museu em 1968.

E se prepare para quando for conhecer o Palácio, são dois pisos com mais de 40 salas para visitação. No piso terréo são 24 salas e no piso Superior são 20 salas. Todas elas com igual riqueza de história e decoração.

O Palácio da Ajuda desempenha até hoje a função de ser o cenário das cerimónias protocolares do Estado. E é um dos mais importantes museus de artes decorativas do país.

Para chegar ao Palácio Nacional da Ajuda, você pode ir de carro ou de transportes, os autocarros 729, 732, 742 param na porta. Para saber mais sobre o Palácio, clique aqui.

Veja o que achei do Panteão Nacional, um lugar que preserva a história dos maiores representantes da cultura portuguesa.

E não se esqueçam de marcar o nosso perfil do Instagram para que eu possa ver a foto de vocês por lá: @tasaver.pt e as nossas #tasaver #tasadescobrir. Vamos juntos Fora da Rota pelos Caminhos de Portugal.

1

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com

Assine nossa newsletter!

Nunca mais perca um post e fique por dentro de todas as novidades do blog.

Atualmente em:

Lisboa - Portugal
siga @tasaver.pt