A adega mais antiga de Portugal, é a José Maria da Fonseca, que fica em Setúbal. Fui até lá para a conhecer e entender mais sobre a história e produção dos seus vinhos mais famosos.

José Maria da Fonseca, foi um visionário e através da sua formação intelectual e espírito empreendedor levou inovação para a indústria do vinho ao ser o primeiro a comercializar vinhos em garrafas. Além de que alterou, também, o método de fabricação do Moscatel de Setúbal.

Em 1849, José Maria da Fonseca criou a marca Moscatel de Setúbal. E em 1955 esse vinho ganhou a medalha de Ouro na Exposição Universal de Paris. E ainda hoje, é uma referência internacional.

Um dos vinhos portugueses mais famosos é do José Maria da Fonseca, o Periquita que foi criado em 1850 e ganhou Medalhas de Ouro na Exposição de vinhos portugueses em Berlim e na Exposição Universal de Barcelona, com a colheita de 1885.

Em 1857, o Rei D. Pedro V confere a Ordem da Torre e Espada de Valor, Lealdade e Mérito às “instalações vinárias do senhor Fonseca em reconhecimento pela sua modernidade, asseio e eficiência”

Depois foram lançados outros vinhos como: Vinho Rosé Lancers, BSE, Terras Altas, Hexagon, Twin Vines, Periquita Superior,

E desde sua criação os vinhos do José Maria da Fonseca se destacam entre os vinhos portugueses e ganham vários prêmios.

E José Maria da Fonseca tem uma ligação com o Brasil. Entre 1920 e 1935, o Brasil se tornou o principal destino dos vinhos da José Maria da Fonseca, para onde foi exportado mais de um milhão de garrafas por ano.

Eu fui conhecer a adega com o Caio e o Pedro, criadores do Portugal a Fora, especializados em tours personalizados por Portugal, que convidaram para conhecer um de seus tours. Recomendo que se você vier para Portugal, faça um tour com eles. Para saber mais, clique aqui.

A visita guiada começa passando pelo hall de entrada da adega em que estão fotos e certificados de prêmios de José Maria da Fonseca. Nessa sala, também, tem as primeiras máquinas que eram utilizadas para fazer os vinhos e as primeiras garrafas expostas numa vitrine.

A primeira sala que visitamos, é a adega Torna Viagem, onde estão guardados barris do vinho Moscatel Torna Viagem.

José Maria da Fonseca percebeu que os vinhos que viajavam para outros continentes de veleiros e que ao não serem vendidos, regressevam para Portugal e ao chegarem aqui os vinhos estavam melhores, mais refinados.

A qualidade do vinho sofria alterações devido as diferentes temperaturas em que eram submetidos durante a viagem. Alguns desses vinhos passaram a ter o nome Moscatel Torna Viagem.

Em 2000 e 2007, alguns barris do Torna Viagem foram colocados em navios e levados para o Brasil, depois Eua e de volta para Portugal. Os barris que não foram são chamados de Testemunhas, para certificar a diferença entre as Testemunhas e os Torna Viagem.

Depois saímos da Casa e vamos para o jardim, onde estão em exibição modelos das vinhas com diferentes castas de uvas.

O mais interessante é que ao redor das vinhas são plantadas rosas e lavandas: As Rosas são flores sensíveis e pegam as doenças primeiro, dando tempo de tratar essa doença antes que ataque as vinhas. E a Lavanda, porque são muito cheirosas e atraem os mosquitos, evitando que os insetos fiquem nas vinhas.

A segunda adega, foi a Adega da Mata, que é a Adega do vinho Periquita. O vinho antigo mais servido na mesa portuguesa.

Essa adega tem capacidade para 800.000 litros de vinho, que estão distribuidos nos 36 tonéis de mogno.

A teceira adega é a Adega dos Teares Velhos, onde estão os barris do Moscatel. Essa adega tem capacidade para 400.000 litros de Moscatel e estão reunidos 3 tipos de Moscatel: Setúbal Roxo, Setúbal Superior, Moscatel Setúbal.

Após vermos as adegas, é chegada a hora da degustação. Na minha visita tive direito a degustar dois vinhos: Moscatel de Setúbal e Periquita Superior.

A visita tem duração em média de 50 minutos e foi um valor de 10€, que tem direito a visita guiada e degustação de dois vinhos. A reserva precisa ser feita antecipadamente.

Espero que vocês tenham gostado de saber mais sobre a origem de um dos vinhos mais famosos de Portugal e que não deixe de ir conhecer a Adega José Maria da Fonseca.

Até a próxima! 😉

1

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com

Assine nossa newsletter!

Nunca mais perca um post e fique por dentro de todas as novidades do blog.

Atualmente em:

Lisboa - Portugal
siga @tasaver.pt