Conhecer As Ilhas Berlengas tem que ser um dos itens da sua lista do que fazer enquanto estiver em Portugal.

As Ilhas Berlengas fazem parte do Arquipélago das Berlengas e é um lugar paradisíaco bem pertinho de Lisboa, que da pra você ir num bate e volta bem prático.

Quer saber mais bate e volta a partir de Lisboa? Clique aqui.

Para chegar na Ilha, é preciso ir para Peniche. As Ilhas Berlengas fazem parte desse distrito e para chegar até lá é preciso contratar um serviço de barco na Ribeira de Peniche.

História

O Arquipélo é composto por três ilhas: Berlenga Grande, as Estelas e os Farilhões. A Ilha mais visitada é a Berlenga Grande, onde tem o Forte de São João Batista.

As Ilhas Berlengas são uma reserva natural desde 1465, quando o Rei Afonso V proibiu as caças na Ilha Berlenga Grande. E é considerada Reserva Mundial da Biosfera pela Unesco desde 2011.

A riqueza biológica da Ilha é de valor inestimável. A fauna e flora são únicos, alguns animais só exitem na Ilha. O que fazem das Berlengas um património.

A mais importante falha geológica quase separa o norte da ilha, denominada Ilha Velha, da metade sul, que corresponde à Berlenga propriamente dita.

A geologia destes ilhéus é dominada pela presença de rochas magmáticas (granitos vermelhos bastante deformados) e metamórficas (gnaisses e xistos).

Os grupos das Estelas e da Berlenga são constituídos por rochas graníticas de idade permocarbónica de cor avermelhada ou esbranquiçada.

O grupo dos Farilhões é constituído por xistos e gnaisses de idade antemezozóica, afetados por importante fracturação.

O que tem na Ilha

Forte de São João Batista

Em meados do século XVII, D. João IV ordenou a construção de uma fortaleza na ilha, para reforçar a defesa da cidadela de Peniche.

Foi então edificado o Forte de São João Baptista, sobre um ilhéu junto à enseada da ilha e a ela ligado por uma ponte de alvenaria. O projeto do engenheiro Mateus do Couto.

E esse Farol tem história: foi base para as tropas inglesas, depois foi invadido pelas tropas francesas e foi incendiado pelas tropas de Napoleão.

Hoje, funciona um Hotel no Forte, que nos da a opção de hospedagem no verão. Nas outras estações, o Hotel não está aberto.

Praia do Carreiro do Mosteiro

Uma praia pequena com água cristalina. É a única praia da Ilha e tem 40 metros de comprimento.

Como em toda Portugal, a água é muito gelada, só mesmo em dias de muito calor para ter coragem e enfrentar esse gelo.

Farol Duque Bragança

Foi constuido em 1841 durante o reinado de D. Maria II, sua torre possui 29 metros de altura. Fica no ponto mais alto de Berlenga Grande.

Passou a ter eletricidade em 1926. Mas desde então foi evoluindo e hoje funciona com energia solar. O farol ainda mantém a presença de faroleiros.

Trilhas

Nas Ilhas Berlenfas existem três trilhas:

1. Trilho de Berlenga: Uma trilha de 3 km que dá acesso ao Farol e ao Forte de São João Batista. É uma trilha com um grau médio de dificuldade.

2. Trilho da Ilha Velha: Uma trilha de 1,5 km que dá acesso a Buzinas, Pedra Negra e Carreiro dos Cações. É uma trilha com um grau fácil de dificuldade.

3. Trilho marítimo: É uma trilha de 2 km, que dá acesso a Carreiro de Inês, Flandres, Forte de S. João Baptista, Gruta azul, Furado Grande e Cova do Sono.

Minha experiência

Eu saí de Lisboa num domingo de manhã e fui para Peniche de carro, numa viagem de aproximandamente 1:20h.

Para ir de transportes é preciso ir para a estação de Campo Grande e pegar o ônibus 786, a passagem tem o valor de 11€.

Ao chegar na cidade, fomos tomar café da manhã e na lanchonente, batemos papo com uma moradora local que nos explicou como eram os passeios de barco e recomendou uma das melhores empresas que existe por lá.

Seguimos a recomendação e fomos na empresa Berlenga Live. Ao chegar lá descobrimos que a maioria dos passeios ficam lotados e só tinha vaga para o barco que sairia as 12h.

Recomendo fortemente que quando você for, faça a sua reserva antecipadamente.

Os valores para chegar a Ilha são 20€ ida e volta de barco. Acrescenta mais 6€ se optar por fazer passeio de barco pela trilha marítima e ver as grutas.

Eu optei por ter a experiência completa e acho que vale muito a pena. A Ilha é linda, o guia conta a história de cada lugar e eu adoro aprender coisas novas. Além de ser um visual íncrivel.

Saímos no barco das 12h e retornamos as 16h. Depois desse passeio todo, estavámos morrendo de fome e fomos almoçar no restaurante PROFRESCO – Peixaria e Restaurante.

O restaurante fica um pouco afastado da Ribeira de Peniche, tem uma vista linda do Mar e o menu de peixes tem um valor bem razoável, comemos bem e não pagamos muito caro.

O passeio de Barco

Muita gente me perguntou como era o passeio no barco e vou descrever com detalhes.

A embarcação da Berlenga Live vem de uma linha de embarcações semi rígidas, as mais modernas da atualidade. E esse tipo de embarcação é utilizado pela Marinha Portuguesa.

A ida e a volta é de muita adrenalina e achei super divertido. A duração da viagem foi de 25 minutos, aproximadamente, o que foi um dos motivos para contratarmos a Berlenga Live.

Para entrar no barco e fazer a viagem, é preciso se equipar com capas de proteção contra a água, (que entram na embarcação de acordo com as ondas) e coletes salva vidas.

A capa de proteção é super preciso, tomei um banho de água, fiquei com as pernas molhadas, rosto, teve momentos que não conseguia abrir os olhos de tanta água que vinha e ardia os meu olhos.

Eu nao enjoei e acredito que quase ninguém no barco tenha enjoado. Considero que a movimentação foi parecida com montanha russa, era muito sobe e desce.

Adorei esse passeio, foi um dia excelente, divertido, tirei muitas fotos, acho que vale muito a pena reservar um dia para conhecer a Ilha.

Se você já foi a Ilha Berlenga, me conta o que achou do seu passeio? Teve a mesma experiência que eu tive?

5

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com

  • Avatar
    Lucio Fabio da Costa Junior
    Junho 14, 2019 - 11:12 am

    Estou indo para Portugal em setembro e nem preciso dizer que vou seguir essa sua dica maravilhosa, né? Não conhecia esse lugar lindo e cheio de história. Amei!

  • Avatar
    Débora
    Junho 14, 2019 - 3:56 pm

    Amei a dica do lugar, e não conhecia!! voltarei a Lisboa esse ano ainda, e vou tentar incluir no meu roteiro! vale a pena visitar mesmo sem ser no verão?!

  • Avatar
    Carol
    Junho 16, 2019 - 3:52 pm

    Portugal pode ser um destino muito procurado e conhecido, mas sempre tem um cantinho lindo que ainda não conhecíamos bem. Belo post, ótimas dicas. Viajei junto contigo agora.

  • Avatar
    Maiara Barbosa
    Junho 16, 2019 - 6:38 pm

    Nossa, que charme esse lugar! Realmente é um “achado”, hein?
    Adorei a praia e a tranquilidade do lugar… já entrou na minha listinha de destinos =)

  • Avatar
    Juliana
    Junho 17, 2019 - 4:39 pm

    Eu nem sabia da existência desse lugar. Que paisagem mais linda! Amei a combinação do forte com esse mar maravilhoso. Você indicaria visitar em épocas de inverno?

Assine nossa newsletter!

Nunca mais perca um post e fique por dentro de todas as novidades do blog.

Atualmente em:

Lisboa - Portugal
siga @tasaver.pt